Governo anuncia MP para dar auxílio ao RS, incluindo produtores rurais

Para os produtores rurais, será destinado R$ 1 bilhão para concessão de desconto de juros para empréstimos concedidos no Pronaf


O pacote de medidas de socorro ao Rio Grande do Sul, anunciado há pouco pelo governo federal, envolve R$ 50,945 bilhões, com impacto primário de R$ 7,7 bilhões.

Os recursos se somam aos valores liberados após o decreto de calamidade pelo Congresso e não incluem a renegociação da dívida do estado, que será definida na segunda-feira, conforme frisou o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, em sua apresentação.

O pacote será encaminhado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Congresso por meio de uma medida provisória.

Para os trabalhadores assalariados, o governo antecipará o cronograma de pagamento do abono salarial de 2024, com impacto de R$ 758 milhões. Haverá liberação de duas parcelas adicionais do seguro-desemprego para os desempregados que já estavam recebendo antes da decretação de calamidade, ao final da última parcela, com impacto de R$ 495 milhões.

Os gaúchos terão prioridade no pagamento da restituição do IR para declarantes, com impacto de R$ 1 bilhão. Foi anunciada a liberação do calendário para pagamento dos programas Bolsa Família e Auxílio-Gás, antecipando os pagamentos do mês de maio, com impacto de R$ 380 milhões.

Para o estado e municípios, serão aportados R$ 200 milhões para que os fundos de estruturação de projetos dos bancos públicos consigam apoiar e financiar redes de estruturadores de projetos de reconstrução de infraestrutura e reequilíbrio econômico. Será constituída uma força-tarefa para acelerar a análise de crédito com aval da União para municípios, com impacto de R$ 1,8 bilhão.

Para as empresas, foi anunciado um aporte de R$ 4,5 bilhões em recursos no FGO, que permitirá a concessão de garantias e, consequentemente, a alavancagem da concessão de crédito no total de R$ 30 bilhões às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte no âmbito do Pronampe.

Será disponibilizado R$ 1 bilhão para concessão de desconto em juros de créditos garantidos pelo Pronampe, até o valor máximo de crédito concedido passível de desconto de R$ 2,5 bilhões (ou seja, dos R$ 30 bilhões potenciais de crédito, R$ 2,5 bilhões serão concedidos com desconto de juros).

Serão destinados R$ 500 milhões para concessão de garantias via Fundo Garantidor de Investimentos para alavancagem no Programa Emergencial de Acesso ao Crédito (FGI-PEAC) de até R$ 5 bilhões a serem concedidos a Microempresários Individuais, Micro, Pequenas e Médias Empresas. Neste caso, o aporte alavancará e garantirá acesso ao crédito, sem subvenção da taxa de juros. No caso do FGI-PEAC, o operador é o BNDES. O governo também anunciou a prorrogação por no mínimo 3 meses dos prazos de recolhimento de tributos federais e SIMPLES Nacional, com impacto de R$ 4,8 bilhões.

Produtores rurais

Para os produtores rurais, será destinado R$ 1 bilhão para concessão de desconto de juros para empréstimos concedidos no Pronaf e Pronamp, até o limite global de crédito de R$ 4 bilhões passíveis de desconto de juros — ou seja, toda a linha a ser alavancada terá desconto para subsidiar o crédito ao pequeno e médio produtor rural.

Haddad disse que todo o sistema deve estar pronto para atender ao povo do Rio Grande do Sul assim que as águas baixarem. Ele ressaltou que não será retirado dinheiro de outros programas para atender o Rio Grande do Sul.

O ministro considera o valor da alavancagem inicial satisfatório, até que se tenha uma ideia melhor do tamanho dos estragos. O ministro da Casa Civil, Rui Costa, adicionou ainda que R$ 1,060 bilhão em emendas parlamentares para o Rio Grande do Sul foi liberado na totalidade das emendas.

Presente ao evento, o presidente da Câmara, Arthur Lira, disse que a casa nunca fechou as portas em momentos de dificuldades, citando a ação do Congresso durante a pandemia. “Queria reafirmar todo nosso empenho para estarmos solícitos, assim como foi na segunda, quando aprovamos o decreto de calamidade”, disse, destacando que o Rio Grande do Sul precisará de toda a atenção do governo federal e que este pode contar com a Câmara.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva agradeceu o empenho da Câmara e do Senado, na figura de Lira e do presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco. Lula disse que o pacote constitui apenas as primeiras medidas de crédito e que “isso não termina aqui”.

O presidente ressaltou que o tamanho dos prejuízos só será conhecido quando as águas baixarem e determinou que Fazenda, Casa Civil e demais ministérios trabalhem no final de semana em prol do RS. “Espero que Haddad e o governador gaúcho Eduardo Leite cheguem a um acordo na segunda sobre a renegociação da dívida do estado”, projetou. Na terça, o presidente espera anunciar medidas para atender as pessoas físicas do Rio Grande do Sul.

“Nenhum viés burocrático vai poder atrapalhar o andamento das medidas que estamos anunciando. Não faltará esforço do governo. Vamos ‘cavocar’ dinheiro onde houver recursos disponíveis”, concluiu Lula.

Próximos Leilões

29 MAI 19h30

Porto Alegre (RS)

Leilão de Gado Geral

Lance Rural

29 MAI 20h00

Londrina (PR)

16º Mega Leilão Fortaleza – Etapa Touros e Novilhas

Canal Rural | Lance Rural

29 MAI 20h04

Londrina (PR)

Leilão Virtual Genética Nelore Confiança – 2ª Etapa

Canal Rural | Lance Rural

30 MAI 13h00

Londrina (PR)

Leilão Virtual Touros, Matrizes e Dorper – Agropecuária 3G

Canal do Criador | Lance Rural

30 MAI 13h00

Londrina (PR)

3° Leilão Virtual Estação Ambar Amaral

Canal Rural | Lance Rural

30 MAI 18h00

Paranaiguara (GO)

Leilão Fazendeiro Especial

Lance Rural

30 MAI 19h00

Rio Grande (RS)

Leilão Virtual + Pecuária

Lance Rural

30 MAI 19h45

São Paulo (SP)

Lance na TV

Canal Rural | Lance Rural