Publicado em: 27 de novembro de 2019

Alta do boi gordo já se reflete no comércio de animais

Valorização da arroba anima criadores que passam a ter margem para investir no aumento do rebanho

O preço da arroba do boi gordo está em alta nos últimos dias e registrou novo recorde em São Paulo na última terça-feira (26), chegando a R$ 233. Essa alta impacta todo mercado de pecuária, inclusive o de leilões, que comemora os reflexos desse aumento.

De acordo com Paulo Horto, da Programa Leilões, uma das maiores empresas leiloeiras do país, a valorização da arroba afeta positivamente toda a cadeia da pecuária. “Essa alta no preço da arroba do boi gordo é um incentivo muito forte para a comercialização do gado. A gente já vem sentindo nos leilões que fizemos nos últimos dias os efeitos desse aumento”.

O leiloeiro Paulo Brasil, que também é criador de Nelore e comandou o martelo no Leilão Touros Santa Cruz, transmitido pelo Canal Rural no último sábado (23), compartilha da mesma opinião. “Essa valorização vai se refletir de maneira proporcional nos leilões e nós já começamos a sentir isso durante os remates de touros do último fim de semana e também nos leilões de gado de corte ao longo desse mês, pois alguns produtores já tinham a expectativa de que haveria essa alta e começaram a antecipar as compras”.

O bom momento da pecuária estimula os criadores e, de modo geral, encerra um período de recessão, avalia Brasil. “O produtor vinha descapitalizado durante os últimos anos, apenas ‘empatando’ a conta, que não estava fechando positiva. Agora os pecuaristas terão margem para investir e isso anima o produtor a aumentar o confinamento de gado”.

Além do reflexo nos remates voltados à pecuária extensiva, os pregões destinados a pecuária seletiva também devem ser impactados. “O objetivo final da pecuária seletiva é a melhoria da pecuária extensiva. A seleção existe para poder melhorar geneticamente o boi de abate, pois o objetivo é ter animais mais precoces, com maior rendimento e mais peso em menor tempo. Essa é a grande meta de qualquer seleção genética”, avalia Horto.

Correção do valor da arroba

Na opinião de Paulo Brasil, a alta histórica é uma correção de valores defasados. “Nós estamos vivendo uma correção do preço do boi. Não é apenas uma alta histórica ou algo sazonal,” afirma.

A visão do leiloeiro se deve ao fato do Brasil exportar cerca de 30% de toda a produção de carne bovina. Por esse motivo, o dólar acaba sendo a referência de preço. Considerando a valorização da moeda americana frente ao Real, que também vem batendo recordes e fechou em R$ 4,24 ontem (26), o preço da arroba está em torno de US$ 55. O valor já foi praticado em outros momentos, chegando perto dos US$ 60 em 2011, por exemplo.

“Nós tivemos vários momentos na pecuária em que uma arroba comprava uma bola de arame liso, essa sempre foi uma referência entre os criadores. Mas nos últimos anos nós estávamos precisando de duas arrobas para comprar uma bola de arame liso. Então o preço está sendo corrigido, voltando a patamares competitivos,” considera Brasil.

Outros fatores que indicam a permanência do preço valorizado da arroba do boi gordo são os próprios motivos que provocaram o aumento. “Nós estávamos nas mãos de poucos e agora tivemos a descentralização dos frigoríficos habilitados a fazer exportação, ou seja, habilitamos novas plantas em regiões diferentes do Brasil. As negociações do governo, principalmente com a China e os países árabes, bem como o momento difícil vivido pelos nossos vizinhos da América do Sul, como o Chile e a Argentina, por exemplo, que são grandes exportadores, mas que vêm perdendo produtividade, favorecem o Brasil”.

Abertura de novos mercados

Desde setembro deste ano, 30 frigoríficos de carne bovina foram habilitados a exportar para a China e Arábia Saudita. Dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), divulgados pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (ABIEC), mostram que entre janeiro e setembro de 2019 foram enviadas para o exterior 1,227 mil toneladas de carne, um aumento de 9,2% em relação ao mesmo período do ano passado. A China é o principal destino.

“O trabalho da (ministra) Tereza Cristina precisa ser valorizado. Ela vai fazer história no Ministério da Agricultura. Essa mulher rodou o mundo e em pouco mais de 10 meses transformou o rendimento do pecuarista brasileiro”, elogia Brasil.

Paulo Horto também acredita que o preço da arroba do boi gordo não deve sofrer muitas alterações nos próximos meses. “Eu não acredito em grandes oscilações de preço a curto e médio prazo, nem pra mais e nem pra menos. Algum ajuste de mercado deve existir, mas dentro de uma normalidade”, finaliza ele.

 

Por Yahell Bonfim | Canal Rural